A autora que me deixou órfã

capa_O_Torreao_web1

Já tinha ficado alucinada com a Jennifer Egan quando li A visita cruel do tempo (post aqui!). O livro é bom, me fez pensar para poder acompanhar, é cheio de ligações que você precisa fazer sozinho para poder entender. Enfim, foge dos romances fáceis e é bom demais.

Quando disse isso a uma amiga, na hora ela me perguntou se eu já tinha lido O torreão, que chegou ao Brasil depois de A visita cruel do tempo, mas, na verdade, foi publicado antes, em 2006 (A visita cruel foi escrito em 2011).

A história gira em torno do jovem baladeiro Danny, que vai visitar seu primo-problema num castelo na Europa Oriental. Já no primeiro capítulo, somos deparados com uma história traumática ocorrida na infância dos dois e que vai permear todo o romance narrado na vida adulta deles.

Com a proposta de bancar o primo desempregado no castelo, em troca de ajuda para reformar o prédio e transformá-lo num hotel, o primo atrai Danny para o fim do mundo, onde não há TV, internet e nem sinal de celular.

Parece pouco sombrio, mas a história mistura um pouco do realismo fantástico com um suspense e algumas questões familiares (embora esse não seja o centro da narração), deixando cada capítulo mais tenso do que o anterior.

Em paralelo a isso, a autora vai narrando uma outra história, intercalada entre as histórias vividas por Danny no castelo.

Posso contar pouco, pois cada detalhe pode ser importante para juntar as peças do quebra-cabeça. E você não vai querer que eu entregue tudo de bandeja. Mas o que eu posso dizer é que li em dois dias, pirei, e, quando terminei, tive a sensação de estar sozinha, sem algo muito importante que estava comigo.

Jennifer Egan é a autora dos tipos de livros que quando acabam, deixam a gente órfã.

Pena que aqui no Brasil só esses dois títulos tenham sido lançados. Ambos pela Intrínseca. Ambos com lindas capas, e ambos ótimos presentes pra qualquer pessoa que ame ler.

R$ 29,90

As piores capas de livros de todos os tempos

(A minha favorita, confesso)

Esse Tumblr reúne as melhores piores capas de livros de todos os tempos. Tem coisas surreais!

Diversão garantida para este feriadinho com cara de dia normal de trabalho.

Meu pescoço é um horror

Esse é o título de um dos livros da escritora, jornalista e roteirista, Nora Ephron.

Estava à procura de um livro inteligente, mas ao mesmo tempo divertido, para dar de presente a uma amiga que fazia aniversário, e eis que surgiu essa grande publicação lá em casa (via @IvanHM).

Meu Pescoço é um Horror é um livro de ensaios da escritora que fez o roteiro de Harry & Sally, do Wood Allen, entre outros filmes. Junto com esse, veio também Não me Lembro de Mais Nada, outra coletânea incrivelmente divertida, que reúne assuntos de mulher. Mas não de mulherzinha.

Desde amantes, filhos, cremes e depilação, passando por gastronomia e amigas, os livros são um compliado de palavras inteligentes e histórias bem escritas.

Claro, lemos os dois livros, demos de presente à amiga, compramos mais, demos de presente a outra amiga, e está na minha super lista de indicações.

Depois desses dois, ainda compramos um romance dela, O Amor é Fogo, em que ela narra seu próprio divórcio, numa mistura de realidade e ficção. Mesmo com um tema difícil, o livro consegue ser engraçado. Sacadas inteligentes e bem-humoradas fazem a tragédia da separação ser algo mais leve. Típico de quem ri de si mesmo.

Indiquei pra minha mãe, que não achou tanto o Meu Pescoço engraçado e preferiu Não Me Lembro, ao contrário de mim. Mas ambos são uma boa pedida.

 

Nora Ephron faleceu em junho deste ano, aos 71 anos, de pneumonia, devido a uma leucemia. Triste triste eu só ter descoberto ela depois. Mas antes tarde <3

 

*Os três livros são da Rocco, e custam de R$ 21,50 a R$ 26,00.

Junte-se a 13 outros seguidores